Manguezal

Os manguezais ocorrem em todo o mundo, entre o trópico de Câncer e o de Capricórnio. É um Ecossistema costeiro tropical, localizado em terrenos baixos, com solo inundado pelas oscilações das marés e com variação de salinidade. Jovem, resistente e complexo, tendo também boa capacidade de recuperação. O substrato é de vasa ou lama, sob a ação diária das marés de água salgada ou, salobra. É rico em silte e argila, podendo ter diferentes concentrações de areia.

O apicum faz parte da sucessão natural do manguezal para outras comunidades vegetais, sendo resultado da deposição de areias finas por ocasião da preamar. Ele ocorre na porção mais interna do manguezal, na interface médio/supra litoral. Seu limite é estabelecido pelo nível médio das preamares de sizígia e o nível das preamares equinociais.

No Brasil, eles ocorrem do Cabo Orange (AM), até a cidade de Laguna em (SC). No passado, a extensão era muito maior: muitos portos, indústrias, loteamentos e rodovias costeiras foram desenvolvidos em áreas de manguezal. Não são muito ricos em espécies, porém, destacam-se pela grande abundância das populações. Por isso podem ser considerados uns dos mais produtivos ambientes naturais do Brasil, que tem uma das maiores extensões de manguezais do mundo.

Em apenas 5 anos, uma árvore de mangue fica adulta e reproduz, podendo chegar a 20 m de altura. Suas raízes (pneumatóforos) são capazes de passar períodos ficando cobertas pela água do mar e conseguir o oxigênio que não encontram no solo.

Há várias espécies de caranguejos, ostras, cracas, mexilhões, berbigões, algumas espécies de moluscos e camarões. Grande variedade de peixes penetra nos manguezais na maré alta. Muito deles constituem o estoque pesqueiro das águas costeiras que dependem das fontes alimentares do manguezal (bagres, robalos, manjubas e tainhas). Eles atraem predadores, como algumas espécies de tubarões, cações e até golfinhos. Existem aves comedoras de peixes e de invertebrados marinhos, que fazem seus ninhos nas árvores do manguezal. O jacaré de papo amarelo e o sapo Bufo marinus podem ser encontrados. Entre os mamíferos, lontra e o guaxinim. Os manguezais são usados pelos homens dos sambaquis há mais de 7 mil anos.

Na Baía de Guanabara, como consequência direta do conjunto de pressões que atuam sobre uma bacia hidrográfica cuja área aproximada é de 4 mil km2, cerca de 35 rios de maior importância, perímetro de 381 km2 e um volume de 2 bilhões de m3 de água, os manguezais reduziram em mais de 90 %, além da pesca comercial e o assoreamento crescente; a degradação da qualidade das águas da baía, bem como agravamento dos problemas de erosão e enchentes em decorrência dos processos de desmatamento instalados na bacia, principalmente nas suas partes de maior declividade. Da cobertura vegetal original de manguezais circundando praticamente toda a área da baía, resta, hoje, “uma faixa de manguezal de 40 km de extensão, nas partes norte/nordeste do fundo da baía.”

Projeto UÇÁ - © 2018