O Projeto UÇÁ atua em áreas úmidas – 02/02 Dia Mundial

02-02-2016

 

FOTO 5 (Small)

 

 

 

 

 

 

 

 

No dia 2 de fevereiro é comemorado o Dia Mundial das Áreas Úmidas (World Wetlands Day). Este dia foi instituído em 1997, pelo Comitê Permanente da Convenção de Ramsar. A Convenção é um tratado intergovernamental que estabelece marcos para ações nacionais e para a cooperação entre países com o objetivo de promover a conservação e o uso racional de zonas úmidas no mundo.

Até 2010, 159 países já estavam participando. O Brasil que, por suas dimensões acolhe uma grande variedade de zonas úmidas importantes, assinou a Convenção de Ramsar em setembro de 1993, ratificando-a três anos depois. Essa decisão possibilita ao país ter acesso a benefícios como cooperação técnica e apoio financeiro para promover a utilização dos recursos naturais das zonas úmidas de forma sustentável, favorecendo a implantação, em tais áreas, de um modelo de desenvolvimento que proporcione qualidade de vida aos seus habitantes.

A finalidade do Dia Mundial das Áreas Úmidas é estimular a realização, por governos, organizações da sociedade civil e grupos de cidadãos, de ações e atividades que chamem a atenção de todos para a importância das áreas úmidas, para a necessidade de sua proteção e para os benefícios que o cumprimento dos objetivos da Convenção pode proporcionar.

Os cientistas estimam que 64% das áreas úmidas mundiais já desapareceram. As causas, são as mais diversas, como aterros, expansão imobiliária, entre outras.

Mas, o que são zonas úmidas?

O conceito de zonas úmidas adotado pela Convenção de Ramsar compreende ambientes úmidos naturais como pântanos, mangues, marismas, charcos, rios, lagos, estuário, águas costeiras com profundidade de até seus metros, recifes de coral, entre outros. Além disso, também são consideradas zonas úmidas áreas artificiais, como represas, lagos e açudes, viveiros de peixes, arrozais, salinas, áreas irrigadas para agricultura etc.

A inclusão de áreas artificiais decorre do fato de que, originalmente, a Convenção se destinava a proteger ambientes utilizados por aves aquáticas migratórias.

“Zonas úmidas constituem sistemas extremamente vulneráveis, apesar de apresentarem elevadas diversidades biológica e funcional. A riqueza biológica faz com que esses ambientes sejam os grandes berçários naturais nas diversas fases do ciclo de vida das espécies, ou ainda como pontos de parada para espécies migratórias.” (Schaeffer-Novelli, 2007)

O futuro da humanidade depende dessas áreas, pois esses ambientes fornecem e purificam a água, e reabastecem as águas subterrâneas, proporciona a existência de peixes e crustáceos que alimentam bilhões de pessoas, atuam como uma esponja natural para a proteção contra enchentes e seca, assegura a proteção das áreas costeiras quando o nível do mar aumenta e ajuda na luta contra a mudança do clima.

 

foto 10 (Small)

 

 

 

 

Área de 9 ha sendo recuperada (2015/16). Retirada de vegetação invasora e plantio de mudas de manguezal.

Área de 9 ha sendo recuperada (2015/16). Retirada de vegetação invasora e plantio de mudas de manguezal.

 

 

Tema das ações para 2016

A cada ano, o secretariado da Convenção sugere um tema para as ações desenvolvidas pelos países membros da Convenção de Ramsar. O tema central do dia mundial para 2016 é “Áreas úmidas para o Futuro: Modo de Vida Sustentável”.

Apesar do acesso à informação via internet e a forte atuação da juventude e da sociedade em geral nas redes sociais, a importância e os benefícios das zonas úmidas, infelizmente, não são totalmente conhecidos. A realização de ações diversas e a disseminação de informações são muito importantes para que seja possível a sensibilização das pessoas para a importância dessas áreas.

 

 

Tags: , , , ,

Projeto UÇÁ - © 2018