Projeto Uçá capacita pescadores dos municípios do entorno da APA de Guapi-Mirim.

05-10-2015

 

Com patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental 30 pescadores participam do Curso de Marinheiro Auxiliar de Convés. A capacitação é fruto de uma parceria entre o Projeto Uçá e a APA de Guapi-Mirim e é ministrado por empresa reconhecida pela Capitania dos Portos.

Este curso foi esperado por anos e capacita os pescadores participantes a poderem conduzir embarcações transportando pessoas para lazer, dentre outras utilidades. Isso significa um incremento no ecoturismo na região. Foram 108 inscritos, mas o limite por turmas pela Capitania dos Portos é de no máximo 30 alunos. O curso é gratuito e os candidatos passaram por rigoroso processo de seleção. Ao final serão emitidos certificados e terão sua habilitação.

A divulgação foi realizada para associações dos quatro municípios que estão nos limites da APA que são Magé, Guapimirim Itaboraí e São Gonçalo. Este será o primeiro curso na região e possibilitará aos pescadores conhecerem e se qualificarem em uma atividade diferente da que desenvolvem no dia a dia.

Com duração de noventa horas, o curso será ministrado por especialistas e instrutores da Capitania dos Portos, analistas ambientais do ICMBio e técnicos do Projeto Uçá. As aulas acontecerão na sede da APA Guapi-Mirim, com aulas teóricas e práticas incluindo palestras e instruções na área de reflorestamento de manguezais. Os pescadores receberão noções de meio ambiente e a importância da preservação não só dos manguezais, mas também dos ambientes costeiros como um todo. E ainda conhecerão melhor o trabalho desenvolvido pelo Projeto Uçá e pela APA Guapi-Mirim.

Ninguém conhece melhor a Guanabara, do que os pescadores que dela vivem. Esse curso através dessas importantes parcerias, vem coroar nossa missão de mostrar que a Baía de Guanabara não é só lixo e esgoto. A partir dele (do curso) os pescadores estarão habilitados a conduzir pessoas em passeios orientados, mostrando o berçário da vida marinha, os manguezais. E ainda poderão defender uma renda extra. Para quem quer conhecer a Baía que ninguém vê e participar de uma atividade com conceitos socioambientais, essa será uma excelente oportunidade”. Comemora Pedro Belga, Coordenador Geral do Projeto UÇÁ

 

Projeto UÇÁ

O Projeto que tem o nome do Caranguejo que habita nos Mangues, já reflorestou 8,7 hectares (87.000 m2) de mangue e está trabalhando para reflorestar mais 9,0 hectares (90.000 m²).  O reflorestamento é feito através de termo de reciprocidade assinado entre os Guardiões do Mar e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, (ICMBio), através da APA de Guapi-Mirim, e da Estação Ecológica da Guanabara.

As parcerias incluem ainda a Cooperativa Manguezal Fluminense e a Estação Ecológica de Carijós em Florianópolis, onde um trabalho de educação ambiental preventiva está sendo realizado.

O Projeto Uçá também leva Educação Ambiental a escolas em oito municípios da bacia contribuinte da Baia de Guanabara:  Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Magé, Guapimirim, Cachoeiras de Macacu, Petrópolis e Teresópolis. Também atua com pesquisas de macroinvertebrados marinhos em costões rochosos e com as fases larvar e bentônica do Uçá (Ucides cordatus) na Baía de Guanabara.

 

 

 

Tags: , , , ,

Projeto UÇÁ - © 2018