Projeto UÇÁ inicia recuperação de mais 9 ha de manguezal na APA de Guapi-Mirim

22-04-2015

01

vista geral de área já roçada e que será preparada para o plantio das mudas de mangue.

 

O Manguezal é um ecossistema de grande importância ecológica, social e econômica. Mas, mesmo possuindo grandes valores, ele se encontra em elevado estado de degradação, em especial, na região da Baía de Guanabara, local que sofre severos impactos ambientais, como: desmatamentos, depósito de lixo e entulho, lançamento de esgotos domésticos e industriais sem qualquer tratamento, trazendo graves consequências ao meio ambiente como a perda da biodiversidade local e de suas funções ecológicas, diminuição da qualidade ambiental, aumento dos processos erosivos e empobrecimento do aspecto visual.

Dessa forma, é necessária a intervenção “positiva” do homem para restaurar esses ambientes. Por isso, dentre as diversas ações do Projeto Uçá o reflorestamento de mais uma área 9,0 hectares (90.000 m²), é tão importante. E o resultado é efetivamente socioambiental, pois o mangue é recuperado com  geração de postos de trabalho.

Infelizmente essa não é uma tarefa simples. Antes de qualquer coisa é preciso fazer a limpeza, ou seja, roçamos a área onde o reflorestamento será realizado. Essa prática é importante para retirada de uma vegetação conhecida como oportunista (composta de plantas herbáceas que colonizaram o ambiente de maneira agressiva, não permitindo o crescimento de espécies de árvores nativas do local). Muitos dias de intenso trabalho e uma grande equipe são necessários para realizar essa atividade. No sol ou na chuva, homens portando roçadeiras para retirar as samambaias e outros arbustos que não deveriam estar ali. A área em questão encontra-se a quase uma hora de barco, da sede da APA de Guapi-Mirim. Os trabalhadores, equipamentos, alimentação, água, enfim, toda a estrutura só pode chegar ao local por essa via. Felizmente esses problemas são enfrentados com muito otimismo e uma logística testada e aprovada desde 2013, quando então, foram recuperados 8,7 (87.000 m2). O trabalho realizado na primeira área tem resultados tão bons que ela, antes impactada, já está produzindo “NATURALMENTE” as mudas para reflorestar a nova área.

Estamos na primeira etapa da nova área. A próxima será o plantio de mudas. Paralelamente está sendo monitorada a área recuperada entre 2013/14. Em breve o Projeto Uçá entregará a APA e a sociedade em geral, mais uma área recuperada. Vale lembrar que esta ação é uma das muitas atividades que o ICMBio, através da APA de Guapi-Mirim e ESEC Guanabara desenvolve, visando a recuperação efetiva dos manguezais da Baía de Guanabara.

IMG_6372

Trabalhador da Coop. Manguezal Fluminense roçando área infestada de vegetação oportunista.

08

Exemplo de vegetação oportunista que infesta a área trabalhada.

04

Trabalhador portando a principal ferramenta dessa etapa: a roçadeira.

05

 

Tags: , , , ,

Projeto UÇÁ - © 2018