Projeto Uçá inicia atividades de pesquisa com Macro Invertebrados em praias de Niterói.

28-04-2015

Preparação do dispositivo onde é acoplado o equipamento para obtenção das fotos subaquáticas.

Preparação do dispositivo onde é acoplado o equipamento para obtenção das fotos subaquáticas.

Dentre as muitas atividades do Projeto Uçá, foi iniciado o monitoramento de duas áreas de costões rochosos em Niterói/RJ. As praias de Eva e Itaipú foram escolhidas. Uma vez por mês, durante um período mínimo de 01 (um) ano, serão realizadas análises para avaliação das condições dos organismos e dos fatores ambientais, através de fotos e de aferição de temperatura, salinidade, Oxigênio Dissolvido e pH. Para análise qualitativa (identificação das espécies) e quantitativa (cobertura percentual) nos costões está sendo utilizada a técnica de fotografia subaquática, que é uma estratégia para causar o mínimo de perturbação no ambiente.

O que norteia esse tipo de ação?

O sudeste do Brasil tem a maior ocorrência de costões rochosos. Esse ambiente se caracteriza por fortes interações biológicas e alta riqueza de espécies de grande importância ecológica e econômica. As rochas favorecem a fixação e desenvolvimento de diversas espécies como larvas, inúmeros invertebrados, peixes e algas formando uma grande diversidade de microhabitats que contribuem para o aspecto de estratificação em faixas de organismos. Por se tratar de um ambiente com rica diversidade, os costões rochosos possuem organismos bentônicos com distribuição definida pelos processos de associação e interação de fatores físicos e biológicos que estabelecem limites precisos de distribuição, e estão divididos em três principais zonas de distribuição: supralitoral, mesolitoral e infralitoral.

A Baía de Guanabara recebe cerca de 17m3/seg de esgoto doméstico, sendo que destes, 13,2m3/seg recebem apenas o tratamento primário. O que não evita sua carga poluidora no ambiente onde é lançado. Esse avançado estado de poluição de suas águas pode interferir na distribuição, na diversidade e na riqueza de organismos nos costões rochosos nas praias de Niterói. Os organismos dos costões (o bentos) desempenham importante função ecológica, seja como receptor de energia proveniente do ambiente pelágico, seja como fornecedor de energia para demais organismos, o que faz com que estudos da fauna bentônica se destaque pela importância para qualquer abordagem ecossistêmica a ser realizar no ambiente marinho.

Um alerta!

A praia de Boa Viagem também foi submetida a uma avaliação técnica para o monitoramento, mas as condições de degradação atual inviabilizaram seu uso.

 G. S. Bispo – Coordenadora Técnica – Projeto Uçá.

_MG_6340 _MG_6286 _MG_6240

Tags: , , ,

Projeto UÇÁ - © 2019